Categoria

sustentabilidade

celebridades dicas de moda home sustentabilidade

A marca de friendly jeans de Jessica Alba

5 de agosto de 2016

Não sei se todo mundo sabe mas a atriz Jessica Alba é uma super empresária bem sucedida, com uma empresa bilionária,The Honest Company, a gata está cada vez mais poderosa no mundo dos negócios.

Sua nova e bem sucedida criação é uma linha de jeans curve-friendly que ela mesmo ajudou a desenvolver em parceria com a marca denim DL1961, a coleção capsula foi criada em New York com toda a consciência eco que ela acredita e levanta bandeira.

Foto Divulgação

Foto Divulgação

Os modelos foram criados para dar aquela levantada no bumbum que adoramos, a cintura mais altinha para ninguém passar vergonha na hora de sentar e foram inspirados em seu corpo.

Jessica-Alba-2-Super-Skinny-Ultra-High-Rise-Jeans-198

Jessica-Alba-3-Instasculpt-Skinny-Jeans-198

Jessica-Alba-4-Instasculpt-Cropped-Moto-Jeans-208

Fotos Divulgação

Eu assim que vi as fotos da campanha pirei e quero super testar algum modelo já que o corte é do jeitinho que eu amo.

Jessica-Alba-DL1961-Campaign

Os preços dos modelos que vi são entre $178 – $198 e estão à venda já no site da DL1961

cabelo corpo sustentabilidade

Óleo de girassol pode ser útil para tratar pele e cabelos

30 de maio de 2016

Não são só as receitas que são beneficiadas com o óleo extraído da bela planta

girassol-750x460

Imagem: Pixabay / CC0 Public Domain

Quem nunca ouviu falar do girassol? Com o nome científico de Helianthus annuus (flor do sol), é uma planta originária da América do Norte e muito conhecida hoje em dia. Ela possui uma habilidade bem característica, que fez a sua fama e a batizou: o heliotropismo. Em biologia, o heliotropismo significa a habilidade de um organismo vivo de se movimentar seguindo a direção do sol. O girassol está normalmente “apontando” para o sol, seguindo sua trajetória ao longo do dia.

A planta possui uma ampla adaptação em diferentes climas; o único problema ocorre com relação às condições nutricionais do solo – ela depende de solo nitrogenado e da presença de boro como micronutriente limitante. O girassol pode chegar a quase três metros de altura e possui sementes ricas em ácidos graxos, o que permite a extração do seu óleo vegetal e o consumo do mesmo como alimento, por pássaros e humanos.

O óleo de girassol

A semente de girassol é rica em ácidos graxos, o que possibilita sua extração a partir de prensagem mecânica a frio, que consiste em, literalmente, prensar os grãos até o óleo ser extraído. Como esse processo não possui aquecimento, muito dos nutrientes e compostos do óleo não se degradam, mantendo-se presentes.

Após filtrado e refinado, o óleo de girassol é constituído basicamente de ácidos graxos (ômegas 3, 6 e 9) e vitamina E. Os ácidos graxos insaturados chegam a 90% da composição do óleo (sendo quase 70% de ômega 6), o que faz com que haja a necessidade da adição de conservantes, pois há degradação rápida. O mais aconselhável é a utilização do óleo de girassol sem adição de conservantes e que esteja armazenado em recipientes que não sejam transparentes, protegendo-o de qualquer fonte de luz.

No Brasil, o cultivo do girassol se iniciou no sul do país, no século XIX, trazido por colonizadores europeus que consumiam as sementes torradas. O girassol possui capacidade de ser cultivado praticamente em todo o solo nacional. O cultivo nacional de girassol, na atualidade, é dedicado, quase que exclusivamente, à produção de óleo, destinado à indústria alimentícia. Sua produção para uso como biocombustível também é possível, mas pouco comum no país.

O óleo de girassol é largamente utilizado na culinária, como óleo para frituras e para diversas outras receitas. Mas você sabia que ele também pode ser usado como cosmético?

Propriedades e aplicações

O óleo de girassol apresenta algumas propriedades que possibilitam seu uso para vários fins. Entre suas propriedades, estão:

-Antioxidante;
-Antirradicais livres;
-Anti-inflamatório;
-Calmante;
-Antialérgico;
-Bronzeador;
-Hidratante;
-Cicatrizante.

Devido a essas propriedades, além de comestível, ele pode ser utilizado no cuidado com pele e com os cabelos.

Cuidado da pele

O óleo de girassol pode ser aplicado à pele com o objetivo de hidratar, amaciar, nutrir e até ajudar no processo de cicatrização. Tendo um efeito reparador de tecidos, por ser rico em vitamina E, o óleo de girassol tem, também, um efeito de limpeza, combatendo a acne.

Cabelos

O óleo pode ser utilizado nos fios com o propósito de atuar como creme protetor, hidratar fios secos e acrescentar brilho.

Sabonetes

O óleo de girassol pode ser utilizado também para a produção de sabonetes caseiros (tanto o óleo novo, quanto o usado). Veja aqui como fazer seu sabão caseiro com óleo vegetal.

Problemas e curiosidades do óleo de girassol

Como vimos anteriormente, o óleo de girassol é rico em ômega 6 (quase 70% da sua composição) e isso pode ser considerado um problema. Por mais que o ômega 6 apresente alguns benefícios à nossa saúde, o seu excesso pode trazer malefícios. Estudos apontam que, o consumo desproporcional de ômega 6 e ômega 3 pode ocasionar doenças cardíacas. O excesso de ômega 6 pode causar inflamações, impedindo o fluxo sanguíneo e causando problemas cardíacos sérios. Veja que o consumo excessivo de ômega 3 também pode ser prejudicial. O óleo mais recomendado para a utilização na culinária é o óleo de coco.

Por outro lado, o óleo de girassol é muito rico em vitamina E. A vitamina E contribui para a manutenção e regeneração dos tecidos do corpo, incluindo pele, ossos, músculos e nervos, sendo atribuído como anti-idade e podendo até ajudar na prevenção do câncer.

O equilíbrio no consumo e utilização de todas as coisas deve ser mantido e respeitado, por mais que algo tenha benefícios, o seu excesso pode trazer complicações. O uso moderado e consciente é essencial.

“O óleo de girassol emagrece?”

Essa é uma pergunta comum sobre o óleo de girassol. Ainda não existem conclusões dizendo que sim nem que não, porém é pouco provável que ele atue dessa maneira. Não existe fórmula mágica que faça qualquer pessoa emagrecer de maneira saudável sem a prática de exercícios (veja um treino físico de apenas 7 minutos e sem equipamentos, recomendado por cientistas). O óleo vegetal é composto, principalmente, por gorduras, e estudos indicam que o consumo de gordura não diminui a fome ao nível de contribuir para que a pessoa emagreça. Ainda não se pode negar ou afirmar que o óleo de girassol ajuda a emagrecer, lembrando do problema que o consumo excessivo do óleo de girassol pode causar no balanço de ômega 6 e de ômega 3 no corpo.

Onde encontrar?

O óleo de girassol é encontrado facilmente em qualquer mercado, mas é importante consumir o produto 100% natural e sem nenhuma adição de qualquer conservante ou aditivo.

home sustentabilidade

Dicas para ter uma pegada ambientalmente correta com as suas roupas

12 de abril de 2016
Por Portal eCycle

Confira algumas dicas simples para ter um vestuário sustentável

loja-roupas-750

O meio ambiente sofre muito impacto oriundo da indústria têxtil, que é uma das quatro que mais consomem recursos naturais, de acordo com dados da Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) – isso nos âmbitos da produção e da distribuição. A própria utilização das vestimentas também acaba proporcionando um grande dano por causa dos gastos com água e com produtos químicos para a lavagem. A moda da roupa sustentável vem crescendo e ganhando cada vez mais espaço, porém, a roupa convencional ainda predomina em nossos armários. Por isso, separamos algumas dicas simples para te ajudar a reduzir os custos ambientais desse hábito que adquirirmos há alguns milhares de anos: o de usar roupas.

Compre apenas quando necessário

Não compre roupas em excesso ou por impulso. Além de gastar dinheiro, você perde um bom espaço no armário e causa, indiretamente, um grande impacto ambiental por causa da fabricação e do transporte da mercadoria. Compre apenas as peças necessárias.

Evite lavar a seco

O solvente mais utilizado na lavagem a seco é o percloroetileno (também conhecido como tetracloroeteno), que está associado a ameças ambientais e é classificado como um “potencial cancerígeno” pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA). Atualmente, existem algumas alternativas para a lavagem a seco e que são mais amigáveis para o meio ambiente, como a lavagem utilizando o CO2 como solvente ou com silicone à base de areia – porém, quase não existem lavanderias com essas opções atuando no Brasil.

Outra dica legal é evitar a compra de vestimentas com tecidos que necessitem ser lavados dessa maneira.

Lave direito

Junte bastante roupa antes de utilizar a máquina de lavar; isso economizará energia, água e sabão. Procure utilizar também sabão, amaciante e outros produtos de limpeza de roupas que sejam biodegradáveis e livres de substâncias prejudiciais ao meio ambiente, como fosfato (veja aqui como fazer). Sobre o seu consumo de água e de energia elétrica, outra dica legal é ficar de olho ao adquirir uma lavadora, e verificar se ela possui o selo Procel de Eficiência Energética.

Evite também utilizar água quente para a lavagem, isso causa uma diferença de até 80% no gasto de energia (veja nossa matéria de como lavar suas roupas de uma maneira sustentável).

Utilize um varal para secar as roupas

A utilização de uma secadora implica em um gasto de energia elétrica desnecessário. Caso você possua um espaço para instalar um varal, permitindo que as suas roupas sequem naturalmente, instale-o e use-o. Além disso, essa ação fará com que suas roupas durem mais. Isso porque não sofrerão impacto da ação mecânica dentro da secadora..

Prefira roupas que não saem de moda

Uma das maiores razões para comprar mais roupas novas é de ficar sempre na moda. Infelizmente, a moda é passageira, o que faz com que algumas peças nunca mais sejam usadas após certo tempo. Então procure sempre por roupas tradicionais, que nunca saiam de moda, como calças jeans (mas não precisa ter muitas, já que elas gastam muita água para serem produzidas), jaquetas, camisetas pretas e brancas, entre outras.

Não compre pela marca

A marca é um estilo, e geralmente esse estilo acaba fazendo a peça de roupa custar mais. Em alguns casos, as empresas investem mais no marketing do que na produção. Com isso, além de possuir uma qualidade mais baixa, a produção costuma oferecer péssimas condições aos trabalhadores, além de pouca ou nenhuma preocupação ambiental.

Frequente brechós

Comprar roupas em brechós pode ser uma maneira muito barata e divertida de melhorar seu guarda-roupa. Eles permitem que você compre sem culpa de causar danos ao meio ambiente, sem pressão dos vendedores, além de possuírem um preço muito baixo. Feirinhas e troca entre amigos também são ótimas pedidas.

Tenha um bom destino para suas roupas usadas

Doe suas roupas velhas – o que é inútil para você pode ajudar outra pessoa. Reinventar suas roupas também é uma ótima maneira de criar um novo uso para suas peças velhas.

Invista em peças orgânicas

Prefira sempre roupas confeccionadas com tecidos orgânicos e que possuam selos de autenticação. Apesar de terem um custo um pouco mais elevado que as normais, elas causam um impacto significativamente menor no meio ambiente em sua confecção – ou seja, apresentam menos externalidades negativas.

cabelo corpo home sustentabilidade

Guia de óleos essenciais: conheça as principais características desses produtos e saiba qual é o ideal para a função desejada

23 de março de 2016
Por Portal eCycle

Eles servem para muitas coisas: de aromatizador de ambientes a componente indispensável em massagens

guia-oleos-essenciais-525

Imagem: Pixabay / CC0 Public Domain

Os óleos essenciais são muito conhecidos pelos seus aromas agradáveis e bem característicos, porém eles podem ser utilizados para várias outras funções. Entenda agora suas diversas aplicações, propriedades e como utilizá-los da maneira mais segura e eficiente.

Possíveis aplicações

Óleos essenciais são líquidos extraídos de diversas partes de plantas, através de diferentes tipos de processos e são caracterizados por possuírem grandes quantidades de compostos orgânicos voláteis (COV ou VOC em inglês), como os terpenos, diferenciando-os de óleos vegetais.

Graças às diferentes composições dos óleos essenciais, alguns benefícios podem ser alcançados por diversas aplicações, entre elas:

-Aromatização de ambiente;
-Compressa;
-Massagem;
-Inalação;
-Limpeza;
-Cabelo;
-Banho;
-Pele;
-Ingestão.

Como utilizar e alguns cuidados necessários

• Aromatização de ambiente

Os óleos essenciais são muito concentrados, possuindo assim um aroma muito forte quando puros. Para a aromatização de ambientes, você pode adicionar uma gota no ambiente, a cada um metro, que será o suficiente. Outra possibilidade é diluir cerca de 10 ml de óleo essencial puro em 1 litro de água, umedecer um pano com esta solução e passar no ambiente desejado. Evite o exagero do óleo essencial para a aromatização, pois, por possuir COVs em alta concentração, podem causar náuseas e mal-estar quando há uma exposição concentrada.

• Compressa

Quando uma região do corpo sofre um impacto ou lesão, a dor, o inchaço e a vermelhidão logo aparecem. Muitas pessoas utilizam a compressa para aliviar e acelerar a recuperação deste impacto ou lesão, mas você sabia que os óleos essenciais podem ajudar ainda mais nesta recuperação? Alguns óleos possuem propriedades analgésicas e estimulantes de circulação periféricas, podendo assim ser utilizados para o tratamento de contusão muscular. De duas a três gotas de óleo essencial na compressa é o suficiente para aumentar o efeito e contribuir no relaxamento muscular.

• Massagem

Ss óleos essenciais são muito utilizados em massagens, graças às suas propriedades analgésicas, relaxantes e estimulantes de circulação periférica. É bom lembrar que o óleo essencial, por ser muito concentrado, deve ser diluído em algum óleo carregador, como óleo vegetal, para evitar possíveis irritações na pele e reações adversas. Cerca de 35 gotas para cada 100 ml de óleo vegetal é uma boa proporção para a aplicação em massagens.

• Inalação

Alguns óleos essenciais podem melhorar o sistema respiratório (em situações de resfriados, por exemplo), além de proporcionar um possível relaxamento psicológico. A adição de algumas gotas do óleo (em torno de quatro) em um recipiente com água quente pode ajudar na respiração da pessoa que irá fazer a inalação.

• Limpeza

Diversos tipos de óleos essenciais carregam compostos que possuem ação antisséptica. Portanto, podem ser utilizados na limpeza, matando diversos micro-organismos. Algumas gotas puras podem ser aplicadas em um pano que seja passado na área desejada, porém, as gotas devem ser bem espalhadas para o aroma não ficar muito forte.

• Cabelo

Os óleos essenciais podem ser utilizados também em tratamento capilar, sendo misturadas algumas gotas (dez) em xampu (100 ml) ou óleo vegetal (100 ml) e massageando a mistura no couro cabeludo. Podem ser utilizados para tratamento de cabelos secos (óleos essenciais de cedro e de sálvia), cabelos oleosos (óleos de cedro e limão), tratamento de caspas (alecrim e melaleuca) e queda (alecrim e cedro).

• Banho

No banho, os óleos essenciais são eficientes para acalmar a mente e melhorar o sistema respiratório por meio da inalação. Na ducha, três gotas podem ser aplicadasa em apenas um canto do box, pois, se mais do que isso for adicionado, a umidade gerada no banho pode concentrar muito aroma e causar desconforto e náuseas. Na banheira, cerca de dez gotas podem ser adicionadas, pois elas ficarão bem diluídas pela grande quantidade de água na banheira.

• Pele

Assim como na massagem, o óleo essencial deve ser diluído em óleo vegetal para evitar irritação e alta concentração na pele. Dependendo do tipo de aplicação desejada, não ultrapasse 35 gotas para cada 100 ml de óleo vegetal.

• Ingestão

Alguns óleos essenciais podem ser ingeridos para causar determinados benefícios à saúde, porém é muito importante a recomendação e acompanhamento médico. Nunca ingira óleo essencial sem consultar uma ajuda médica!

Alguns óleos essenciais e suas propriedades e aplicações

Fizemos uma lista dos principais óleos essenciais para te auxiliar na escolha e pesquisa do tipo que você procura

Onde encontrar e quais cuidados tomar para comprar um óleo essencial

É muito importante verificar se o produto é 100% natural e puro, livre de componentes que possam ser nocivos à saúde. Normalmente, produtos que contêm óleo essencial podem possuir também substâncias prejudiciais, como parabenos, a fim de melhorar algum aspecto físico do produto e até o seu tempo de vida.

Outra característica importante que deve ser observada é que os óleos essenciais são normalmente fotossensíveis, ou seja, degradam ao serem expostos à luz, então, normalmente, eles devem ser armazenados em um recipiente escuro com o intuito de impedir o seu contato com luz externa. Entenda mais sobre o que são e para que servem os óleos essenciais aqui.

Alguns óleos essenciais não têm uso recomendado para determinados casos o de alecrim, por exemplo, deve ser evitado para gestantes. Então busque sempre uma recomendação médica antes do uso de óleos essenciais. É importante para ter a certeza de que não há a possibilidade de ocorrência de efeitos adversos, como alergia e até coisas mais graves.

corpo home sustentabilidade

Farinha de semente de linhaça: uma maneira sustentável de esfoliar a pele

5 de janeiro de 2016
Por: Portal eCycle

A esfoliação com linhaça traz muitos benefícios à pele e não contém os microplásticos poluentes dos rios e oceanos

farinha de linhaça

A esfoliação é um tratamento muito importante para a pele e deve ser feita no rosto e em demais partes do corpo. Ela ajuda na remoção de células mortas e impurezas que estão presentes na pele por conta de ataques de agentes presentes no nosso dia a dia, como poluição, raios solares, poeiras, entre outros.

Além de remover as células mortas da pele, muitos outros benefícios são proporcionados pela esfoliação. Auxilia no combate às acnes, afina a pele, deixando-a uniforme e pronta para receber a hidratação. Muitos outros benefícios da esfoliação poderão ser vistos aqui.

O maior problema dos produtos e cremes esfoliantes está nos microplásticos que estes podem conter. As bolinhas coloridas presentes em muitos desses produtos, na maioria das vezes, são feitas de microesferas de polietileno, que não se degradam no meio ambiente, prejudicando a vida aquática e poluindo oceanos e rios.

Dessa forma, a melhor maneira de evitar o consumo dessas microesferas poluidoras é o uso de esfoliantes naturais que não são prejudiciais ao meio ambiente.

Um dos esfoliantes naturais mais conhecidos e utilizados é a farinha de semente de linhaça, ou pó de linhaça, que é rica em sais minerais, vitaminas e ácidos graxos (principalmente os ômegas 3, 6 e 9).

Ela possui propriedade antioxidante, que previne os radicais livres combatendo o envelhecimento da pele. É anti-inflamatória, sendo muito eficaz no tratamento de acnes e na prevenção de espinhas e cravos.

Devido à ação anti-inflamatória, a farinha de linhaça pode ser usada também para tratamento em peles com dermatites, eczemas e outras doenças. No entanto, essas regiões não devem ser esfoliadas para não causar irritações e agravar o quadro. Para esses casos, o mais adequado é fazer uma pasta utilizando a farinha de linhaça com óleo de semente de uva ou óleo de gérmen de trigo, que também apresentam propriedades anti-inflamatórias e ajudam no tratamento de doenças na pele. Após esse procedimento, aplique a pasta sobre a região sem friccionar. Deixe agir por alguns minutos e remova com água morna. Vale ressaltar que a visita ao médico dermatologista é sempre muito importante.

Por ser um esfoliante com baixa granulometria – ou seja, apresenta pequenas partículas finas de linhaça – é indicada para esfoliação no rosto, pois não irritará a pele sensível do rosto. Regiões mais grossas do corpo, como pés, cotovelos e joelhos não sentirão o efeito necessário, pois necessitam de substâncias esfoliantes com maior granulometria. Para esses casos, o açúcar, as semente de maracujá e as sementes de apricot são mais indicados.

A pele do rosto se beneficiará com a esfoliação a base de linhaça, ficando mais suave, uniforme e renovada. Além da linhaça ter a ação de limpar profundamente a cútis, desobstruindo os poros.

Essa farinha também serve como ingrediente para fazer sabonetes artesanais, esfoliando o corpo, rosto e mãos durante o banho.

Como utilizar

A farinha de linhaça pode ser misturada com mel de abelha, bases cremes prontas que são livres de substâncias químicas nocivas à saúde, ou também com sabonetes líquidos faciais. A quantidade de pó a ser adicionada depende do tipo de pele e da região a ser aplicada. Para o rosto, deve-se colocar menos quantidade por ser uma região mais sensível, assim como pessoas com peles acneicas devem ter cuidado ao usar o esfoliante. Casos extremos de acnes não devem esfoliar a pele sem a orientação médica. No corpo, por ser uma região menos sensível, a mistura deve ser feita com mais granulometria.

A aplicação é feita com os dedos, em movimentos suaves e circulares aplicando uma leve pressão enquanto espalha o produto pelo rosto. Em esfoliações corporais, deve-se aumentar um pouco a pressão. Olhos e bocas não devem ser esfoliados – para os lábios, existem esfoliantes adequados. Após a aplicação, deixe o esfoliante agir por alguns minutos e remova com água morna. Finalize com um creme hidratante, óleo vegetal ou caso a esfoliação for realizada de dia, aplique um protetor solar antes de se expor ao sol. É fundamental realizar uma boa hidratação após a esfoliação.

A esfoliação a base do pó de linhaça também é indicada para peles secas e sensíveis aos raios solares. Lembre-se que a frequência da esfoliação varia conforme o tipo de pele de cada pessoa.

cabelo home sustentabilidade

8 óleos vegetais que podem ser utilizados nos cabelos

21 de dezembro de 2015
Por Portal eCycle

Óleos vegetais conferem maciez e hidratação aos cabelos, além de ser úteis no tratamento de ressecamento e doenças do couro cabeludo

cabelo-loiro-750

Quem gosta de tratar as madeixas sempre acaba buscando alternativas que sejam eficazes e acessíveis economicamente. Os xampus, condicionadores e cremes disponíveis no mercado, além de terem custo elevado, podem oferecer riscos à saúde e ao meio ambiente. Portanto, que tal recorrer a soluções naturais que te ajudarão a manter os cabelos brilhantes e hidratados?

Evitar sulfatos e petrolatos por meio das técnicas de low poo e no poo é uma boa maneira de deixar seus cabelos mais saudáveis. Alguns produtos da indústria cosmética e que possuem óleo mineral enganam o consumidor ao informarem que são hidratantes. Na verdade, produtos com essa substância não conseguem penetrar nas camadas mais profundas dos nossos tecidos para transportar componentes nutritivos. O que eles geram é um efeito superficial de maciez, que pode causar entupimento dos poros. Isso sem nem falar que aumentam as chances de aparecimento de câncer, assim como também podem ocasionar a degradação da qualidade das água .

Já ouviu falar no famoso óleo de argan? A moda surgiu com uma cara marca especializada e logo toda a indústria cosmética copiou e lançou linhas com o óleo em sua composição. Você sabia que o óleo de argan é um óleo vegetal? Os óleos vegetais são naturais e possuem diversos benefícios. São capazes de agir como antisséptico, anti-inflamatório e antibacteriano. Eles são capazes de nutrir os cabelos, pois podem transportar vitaminas lipossolúveis, tais como: A, D, E e K. Além disso, podem hidratar verdadeiramente suas madeixas por serem umectantes, emolientes e lubrificantes conferindo um aspecto suave, maleável e saudável.

Ao contrário de óleos minerais, os óleos vegetais não obstruem os poros, pois são absorvidos. Dessa forma, se utilizados em doses e destinações corretas, não deixarão um aspecto excessivamente pesado ou oleoso. Por todos esses motivos, são capazes de tratar verdadeiramente seus cabelos, substituindo a química nociva por vezes presente em cosméticos e cremes produzidos pela indústria. Convencido? Então vamos conferir alguns óleos vegetais que podem trazer diversos benefícios para suas madeixas.

1. Óleo de rosa mosqueta

rosa mosqueta

O óleo de rosa mosqueta é um potente regenerador natural, muito indicado para redução de cicatrizes. Ele é rico em ácidos graxos que conferem um poder de regeneração de tecidos cutâneos e crescimento celular. Além disso, possui vitamina A, ácido retinoico e vitamina C. O óleo é ótimo para hidratar cabelos secos e danificados. Pode ser usado puro ou misturado em outros óleos vegetais.

2. Óleo de abacate

avocado-750

O abacate é muito utilizado em receitas caseiras para hidratar a pele e os cabelos. O óleo vegetal extraído de suas sementes é riquíssimo em nutrientes e pode servir para diversos fins. Ele estimula a produção de colágeno e é um ótimo hidratante para os cabelos. Além disso, ele auxilia no fortalecimento, estimula o crescimento e diminui a queda dos fios. O óleo é super indicado para hidratar cabelos secos e fracos, pois irá proporcionar brilho e maciez.

3. Óleo de mamona (rícino)

mamona-750

O óleo de mamona ou óleo de rícino é super indicado para os cabelos. Quem sofre com a queda pode contar com ele. O óleo ameniza o problema, acelera o crescimento, faz o cabelo crescer mais forte e mais espesso. Ele também é hidratante e, por isso, apropriado para cabelos ressecados e pontas duplas. O óleo combate infecções e o crescimento de bactérias e fungos que poderiam impedir o crescimento capilar devido à elevada composição de ácido ricinoleico. Ele pode combater ressecamentos do couro cabeludo e reduzir a caspa. Para isso, massageie o óleo no couro cabeludo com a ponta dos dedos por cinco minutos duas vezes por semana. Para perceber os efeitos no crescimento, o uso deve ser contínuo e prolongado.

4. Óleo de ojon

ojon-750

Rico em aminoácidos, antioxidantes naturais e lipídeos, o óleo de ojon reúne muitas substâncias para manter os cabelos saudáveis. Proporciona recuperação das células capilares, brilho intenso, força e protege das agressões diárias, como poluição, raios solares e também dos efeitos do secador e da chapinha. Reduz o volume dos cabelos arrepiados e é antifrizz. O óleo possui uma composição semelhante à dos lipídeos encontrados nos cabelos, e por isso pode reestruturar os fios e os lipídeos perdidos, garantindo força e resistência aos fios e reduzindo a ruptura dos cabelos. Ele também pode ser usado como protetor térmico antes do uso de secador e da chapinha. Seu uso não é indicado por mais que três vezes na semana, pois poderá deixar os fios pesados e oleosos.

5. Óleo de macaúba

macauba750

Esse óleo tem o poder de reparação lipídica, recuperando fios danificados e evitando o envelhecimento dos fios a longo prazo. Esse óleo é ideal para proteger os cabelos dos efeitos do secador e da chapinha. Ele modela e dá volume para cabelos cacheados; previne o desbotamento e ressecamento de cabelos tingidos; além de conferir hidratação, brilho e maciez; também ameniza os efeitos negativos de químicas.

6. Óleo vegetal de amêndoas doces

nut-750

Esse óleo vegetal tem propriedades emolientes e é rico em vitamina E. Por isso, ele ajuda na recuperação de fios danificados, de pontas ressecadas e reduz volume, nutrindo, suavizando e dando brilho aos cabelos. Para quem tem cabelo cacheado, esse óleo é uma ótima opção pois ajuda a defini-los. Auxilia também no combate a caspas e à descamação do couro cabeludo.

7. Óleo de copaíba

copaiba-750

Se você está com os cabelos sem vida, opacos e secos, esse óleo vegetal irá te auxiliar na recuperação dos fios. Ele equilibra a oleosidade, trata micoses, caspas e seborreia do couro cabeludo. Protege os cabelos tingidos e deixa os fios brilhantes e macios.

8. Óleo de café verde

cafverde - 750

O óleo de café verde tem diversas aplicações, sua utilização nos fios melhora a coesão entre as partículas de queratina e proporciona mais brilho e resistência. Atua também como hidratante, retira substâncias tóxicas dos fios e previne a calvície. No couro cabeludo, estimula a circulação sanguínea e fortalece a raiz do cabelo.

corpo home sustentabilidade

Óleo de semente de uva e os seus benefícios à saúde

14 de dezembro de 2015
por eCycle

Conheça as diversas aplicações desse óleo

Foto Reprodução

Foto Reprodução

A uva é fruto da videira – uma planta da família das vitáceas, que possui tronco retorcido, ramos flexíveis e folhas grandes. Originária da Ásia, a videira é cultivada em todas as regiões de clima temperado.

Utilizadas para fabricação de vinho, sucos e alimentos, as uvas também servem de fonte para extração de óleo vegetal. As sementes das uvas são trituradas e prensadas a frio de forma a obter o óleo. É um processo demorado e custoso, já que, para produzir um litro de óleo, são consumidos quase 200 kg de semente de uva, mas o resultado final é um óleo de altíssima qualidade e pureza.

O óleo extraído da semente de uva possui um elevado teor de tocoferol e ácido linoleico, que são responsáveis pelas suas diversas aplicações. O tocoferol, mais conhecido como vitamina E, é um super antioxidante que ajuda na manutenção e regeneração do tecido cutâneo, revitalizando-o. O ácido linoleico ou ômega 6 é um ácido graxo com propriedades anti-inflamatórias, muito importante na cicatrização de feridas.

Aplicações

A presença desses componentes no óleo de semente de uva puro faz com que ele possa ser utilizado para várias finalidades. Além de ser usado na aromaterapia, devido ao seu aroma característico, serve também como hidratantes para o corpo e pele devido sua propriedade umectante e emoliente que retém a água na pele, hidratando-a. Pode ser misturado com cremes, sabonetes e cosméticos, ou utilizado na forma de óleo puro. Ajuda na prevenção de estrias e celulites, devido à alta concentração de tocoferol, que auxilia na elasticidade dos tecidos, restaurando o colágeno e melhorando a circulação periférica. Essa propriedade de restauração de colágeno também é muito eficaz na prevenção de rugas, quando usado na pele.

Tal óleo também é muito utilizado para peles com tendência à acne e oleosas. Ele ajuda na minimização de cicatrizes de acne e não obstrui os poros. Por se tratar de um óleo fino, é rapidamente absorvido pela pele, não deixando-a oleosa. Devido a boa absorção que esse óleo possui na pele, tem ótima aplicação para massagem.

O óleo também traz benefícios aos cabelos: é ótimo para hidratação de pontas ressecadas, atua na prevenção de queda de cabelo e evita que os fios se tornem quebradiços, além de se destacar pela sua capacidade de auxiliar no crescimento capilar. Quanto ao uso capilar terapêutico, o óleo de semente de uva é muito eficaz no tratamento contra dermatite seborreica (caspa), ajudando a remover os “flocos de pele” do couro cabeludo, mantendo-o hidratado. Você pode misturar o óleo ao xampu ou apenas massagear o couro cabeludo com o óleo puro.

Há inúmeras vantagens ao se usar o óleo de semente de uva. Entretanto, antes de utilizá-lo, certifique-se de que o produto é 100% natural e puro, livre de componentes que possam ser nocivos. Normalmente, produtos que contêm esse óleo podem possuir substâncias prejudiciais, como parabenos, a fim de aumentar a qualidade e durabilidade do produto.

Sendo assim, utilize sempre o óleo vegetal na forma pura, conferindo os rótulos e embalagens para evitar o risco de contaminação e o contato com qualquer tipo de química. Para saber onde comprar o óleo de semente de uva puro e outros, visite a Loja eCycle.

O óleo de semente de uva também é muito bom para a saúde. É super recomendado para fritar alimentos, pois não produz substâncias cancerígenas quando aquecido e também pode ser usado na salada. Ele ajuda a reduzir o colesterol ruim e aumenta o bom, previne a hipertensão e obesidade, fortalece o sistema imunológico, sendo um excelente aliado nas dietas.

Descarte

Vale ressaltar também que o descarte indevido de óleos provoca sérios impactos ambientais, principalmente na questão de contaminação da água. Dessa forma, o descarte de óleos vegetais em ralos e pias é inadequado, pois pode causar diversos riscos ambientais e também entupimento nos encanamentos. Portanto, em caso de descarte, procure pelo local correto para esses produtos, coloque os resíduos de óleo em um recipiente plástico e leve a um ponto de descarte para que o óleo possa ser reciclado.

Você pode encontrar aqui o ponto mais próximo para descartá-los.

cabelo corpo home sustentabilidade

Manteiga de cupuaçu: conheça todas as propriedades deste produto cosmético natural nacional

30 de novembro de 2015
por Portal eCycle

Devido à excelente capacidade de absorção de água, constitui uma ótima alternativa cosmética natural e nacional para cuidados diários com pele e cabelos

manteiga de cupuacu 750

O cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) é uma planta tropical, nativa da floresta amazônica. É uma pequena árvore de 4m a 8m (quando cultivada) ou de até 18m de altura (na mata alta, em árvores silvestres) e pertence à mesma família e gênero do cacau. O cupuaçu ainda não é muito conhecido no Brasil, exceto na região norte, onde é uma fonte natural de alimento. No entanto, há um processo de popularização desse produto devido à sua versatilidade, já que pode ser utilizado em fins alimentícios, farmacêuticos e cosméticos.

Trata-se de uma fruta grande, em forma de cilindro com extremidades arredondadas, podendo atingir 30 cm de comprimento com média de 1,2 kg de peso. Na maturação, os frutos caem sem o pedúnculo, quando começam a liberar o cheiro característico. O seu interior contém uma polpa branca comestível, suculenta e cremosa, aderida em aproximadamente 25 sementes grandes e ovaladas. A manteiga do cupuaçu é extraída das sementes que contêm aproximadamente 45% de óleo. A produção em plantios comerciais se inicia a partir do terceiro ano e alcança em média 12 frutos por árvore. Sua polpa e sua manteiga têm crescente importância nas exportações da região.

O que é a manteiga de cupuaçu?

É um produto natural de origem vegetal, com textura similar a uma pasta, de cor esbranquiçada, e utilizado principalmente para combater o ressecamento da pele e dos cabelos, pois mantém a sua hidratação, entre outras diversas propriedades citadas a seguir.

Apresenta alta capacidade de absorção de líquidos, cerca de duas vezes superior à da lanolina, que é proveniente de origem animal, e também diminui a perda de água, sendo importante fator de equilíbrio hídrico. Isso a torna uma ótima alternativa vegana aos derivados animais.

Modo sustentável de obtenção

Existem dois métodos de obtenção da manteiga: com ou sem solventes ou substâncias químicas. No método sustentável, as frutas de cupuaçu são colhidas na própria selva, já que caem no solo assim que amadurecem, e são recolhidas pelas cooperativas localizadas nas margens do rio Amazonas, constituindo uma fonte de renda para os moradores locais.

A polpa é removida com tesoura e os resíduos que permanecem na semente são lavados. Após este processo, a polpa é congelada, e pode ser comercializada a longas distâncias. Com essa polpa refrescante é possível fazer todos os tipos de doces, sucos, bebidas, cremes, licores, aguardentes, entre outros.

Das sementes se extraem as manteigas por um processo natural de prensagem a frio. Este método tem uma vantagem sobre a técnica do solvente, na medida em que produz manteigas que são superiores em termos de estabilidade, além de serem ecologicamente corretas por serem biodegradáveis, não poluindo o meio ambiente. As cascas e outros resíduos podem ser utilizados como adubos naturais, e isso faz com que esse modo de produção praticamente não produza rejeitos.

Principais propriedades

A manteiga de cupuaçu possui ótimas propriedades que a tornam apta a ser utilizada na pele, cabelos, lábios e unhas. É um triglicerídeo (lipídeo ou gordura) que apresenta um composição equilibrada de ácidos graxos saturados e insaturados, que lhe confere um baixo ponto de fusão, de aproximadamente 30° C, ou seja, acima dessa temperatura passa do estado sólido para líquido. Isso facilita sua utilização, já que ela derrete rapidamente ao entrar em contato com a pele. Apresenta um certo grau de absorbância dos raios ultra violeta (UV), principalmente UVB e UVC (mas não há como medir qual seria a equivalência do produto em termos de fator de proteção solar – FPS).

1. Pele

pele 750

Tal como as manteigas corporais, a feita de cupuaçu é um emoliente que proporciona um toque agradável, maciez, suavidade e nutrição à pele, possibilitando a recuperação de sua umidade e elasticidade natural por meio da reposição de lipídios (gorduras), principalmente nas do tipo secas e maltratadas pelas agressões externas. Além disso, contém vários ácidos graxos benéficos (incluindo os ácidos palmítico, esteárico e oleico), muitos polifenóis e fitoesteróis.

O ácido oleico pertence à classe de ácidos graxos monoinsaturados, que são compostos orgânicos constituintes dos lipídeos (gorduras), vitais na construção da membrana celular, estando presente na epiderme, protegendo-a e fazendo parte de sua barreira natural, evitando assim sua desidratação por meio da perda de água transepidérmica. Isso a torna também auxiliar em processos de cicatrização.

O polifenol natural da manteiga de cupuaçu age como um antioxidante, que ajuda a destruir os átomos ou grupos de átomos conhecidos como radicais livres, que ocorrem como resultado normal do metabolismo humano e exposição aos raios de sol, poluição e fumaça de cigarro, por exemplo. Os radicais livres são altamente reativos e podem dar início a uma reação em cadeia de danos em suas células, implicando em envelhecimento precoce e até mesmo diversos tipos de câncer. Por isso também constitui um agente anti-idade.

Os fitoesteróis presentes proporcionam um equilíbrio hídrico-lipídico à camada superficial da pele, mantendo sua hidratação e também conferem um efeito calmante e anti-inflamatório, pois ajudam a controlar irritações e inflamações, tais como eczema, psoríase (doença crônica que causa vermelhidão e irritação) e a dermatite (alergia).

Devido às propriedades já citadas, também possui efeitos benéficos às mãos e aos pés proporcionando maciez às cutículas, e age como um excelente hidratante para os pés cansados e, àqueles que apresentam rachaduras, auxilia no processo de cicatrização, acelerando a reestruturação da pele lesionada.

2. Cabelos

cabelo loiro

Promove suavidade e maciez aos cabelos, aumentando a sua umidade natural e elasticidade, condicionando-os devido a seu alto poder de absorção de água como dito anteriormente, e assim evita a desidratação. É ideal para cabelos quebradiços, secos e ressecados devido à longa duração das propriedades de hidratação que repõem a umidade, promovendo a selagem das cutículas e proporcionando um brilho saudável com redução no volume das madeixas.

Modos de usar

1. Pele, lábios e unhas

Pode ser aplicada diretamente. Adicione a quantidade desejada nas mãos, esfregando-as para que a manteiga fique mais maleável (isso depende da temperatura, nas mais altas a manteiga ficará mais mole) e aplique na região desejada em movimentos circulares, massageando-a até que ocorra a incorporação do produto pela pele.

2. Cabelos

Assim como ocorre com a manteiga de Karité, há várias maneiras de utilizar a manteiga de Cupuaçu nos cabelos. Seguem aqui algumas sugestões que podem ser adaptadas de acordo com cada necessidade específica:

• Pré-xampu

Coloque um pouco da manteiga de cupuaçu nas mãos e espalhe bem. Depois, esfregue bem entre as mãos até que ela se transforme em óleo. Aplique sobre os fios secos e não lavados, especialmente nas pontas e mechas/partes mais ressecadas. Não há tempo de pausa específico, você pode deixar quanto tempo quiser, não trará nenhum malefício para seu cabelo. Lavar como de costume em seguida.

• Máscara de umectação capilar

Depois de lavar os cabelos, retire o excesso de água com uma toalha e aplique a manteiga de cupuaçu evitando a raiz e o couro cabeludo para que não fiquem muito oleosos, mas caso deseje auxiliar no tratamento de psoríase ou dermatites, por exemplo, essas regiões devem ser compreendidas. Coloque uma touca de banho e deixe agir durante 30 minutos. Depois, é só enxaguar os fios com bastante água morna.

• Pomada natural

Faça como na dica anterior, espalhe entre as mãos e esfregue bem até transformá-la em óleo. Depois, é só aplicar sobre as mechas que deseja estilizar. Se você for usar nos fios em substituição ao silicone, lembre-se de aplicar pouquíssima quantidade para não deixá-los com aspecto pesado.

• Tratamento noturno

Se você não tiver tempo para fazer a umectação capilar, você pode aplicar a manteiga sobre os cabelos antes de dormir. Mas é importante lavar os cabelos pela manhã, já que a manteiga poderá deixar seus fios muito oleosos e com aspecto pesado.

Consciência ambiental

E o mais fantástico de tudo isso é saber que é possível usufruir de todas essas propriedades cosméticas de uma maneira sustentável, com mínimo impacto ambiental. Para isso, é necessário utilizar a manteiga de cupuaçu 100% pura, ou seja, não adicionada de outros componentes sintéticos ou obtidas por modo diferente da prensagem a frio que foi descrita anteriormente. Saiba onde comprar esse tipo de manteiga aqui.

É preciso estar atento se a manteiga é pura ou apenas mais um componente de um cosmético convencional, pois muitos produtos usam seu nome apenas como estratégia de marketing para atrair um público que busca por produtos mais sustentáveis e naturais, mas, na verdade, escondem ativos químicos e derivados de petróleo (também conhecidos como petrolatos), que agridem o meio ambiente, pois não são biodegradáveis e dificultam e encarecem os processos de tratamento de esgotos e efluentes.

É possível, sim, manter nossa rotina diária de beleza com produtos naturais que apresentam excelentes resultados de forma menos agressiva ao nosso próprio corpo e ao meio em que vivemos. Clique aqui e saiba como adquirir.

cabelo corpo home sustentabilidade

Óleo de semente de uva e seus benefícios

16 de novembro de 2015

Conheça as diversas aplicações desse óleo

Por Portal eCycle
Foto Reprodução

Foto Reprodução

A uva é fruto da videira – uma planta da família das vitáceas, que possui tronco retorcido, ramos flexíveis e folhas grandes. Originária da Ásia, a videira é cultivada em todas as regiões de clima temperado.

Utilizadas para fabricação de vinho, sucos e alimentos, as uvas também servem de fonte para extração de óleo vegetal. As sementes das uvas são trituradas e prensadas a frio de forma a obter o óleo. É um processo demorado e custoso, já que, para produzir um litro de óleo, são consumidos quase 200 kg de semente de uva, mas o resultado final é um óleo de altíssima qualidade e pureza.

O óleo extraído da semente de uva possui um elevado teor de tocoferol e ácido linoleico, que são responsáveis pelas suas diversas aplicações. O tocoferol, mais conhecido como vitamina E, é um super antioxidante que ajuda na manutenção e regeneração do tecido cutâneo, revitalizando-o. O ácido linoleico ou ômega 6 é um ácido graxo com propriedades anti-inflamatórias, muito importante na cicatrização de feridas.

Aplicações

A presença desses componentes no óleo de semente de uva puro faz com que ele possa ser utilizado para várias finalidades. Além de ser usado na aromaterapia, devido ao seu aroma característico, serve também como hidratantes para o corpo e pele devido sua propriedade umectante e emoliente que retém a água na pele, hidratando-a. Pode ser misturado com cremes, sabonetes e cosméticos, ou utilizado na forma de óleo puro. Ajuda na prevenção de estrias e celulites, devido à alta concentração de tocoferol, que auxilia na elasticidade dos tecidos, restaurando o colágeno e melhorando a circulação periférica. Essa propriedade de restauração de colágeno também é muito eficaz na prevenção de rugas, quando usado na pele.

Tal óleo também é muito utilizado para peles com tendência à acne e oleosas. Ele ajuda na minimização de cicatrizes de acne e não obstrui os poros. Por se tratar de um óleo fino, é rapidamente absorvido pela pele, não deixando-a oleosa. Devido a boa absorção que esse óleo possui na pele, tem ótima aplicação para massagem.

O óleo também traz benefícios aos cabelos: é ótimo para hidratação de pontas ressecadas, atua na prevenção de queda de cabelo e evita que os fios se tornem quebradiços, além de se destacar pela sua capacidade de auxiliar no crescimento capilar. Quanto ao uso capilar terapêutico, o óleo de semente de uva é muito eficaz no tratamento contra dermatite seborreica (caspa), ajudando a remover os “flocos de pele” do couro cabeludo, mantendo-o hidratado. Você pode misturar o óleo ao xampu ou apenas massagear o couro cabeludo com o óleo puro.

Há inúmeras vantagens ao se usar o óleo de semente de uva. Entretanto, antes de utilizá-lo, certifique-se de que o produto é 100% natural e puro, livre de componentes que possam ser nocivos. Normalmente, produtos que contêm esse óleo podem possuir substâncias prejudiciais, como parabenos, a fim de aumentar a qualidade e durabilidade do produto.

Sendo assim, utilize sempre o óleo vegetal na forma pura, conferindo os rótulos e embalagens para evitar o risco de contaminação e o contato com qualquer tipo de química. Para saber onde comprar o óleo de semente de uva puro e outros, visite a Loja eCycle.

O óleo de semente de uva também é muito bom para a saúde. É super recomendado para fritar alimentos, pois não produz substâncias cancerígenas quando aquecido e também pode ser usado na salada. Ele ajuda a reduzir o colesterol ruim e aumenta o bom, previne a hipertensão e obesidade, fortalece o sistema imunológico, sendo um excelente aliado nas dietas.

Descarte

Vale ressaltar também que o descarte indevido de óleos provoca sérios impactos ambientais, principalmente na questão de contaminação da água. Dessa forma, o descarte de óleos vegetais em ralos e pias é inadequado, pois pode causar diversos riscos ambientais e também entupimento nos encanamentos. Portanto, em caso de descarte, procure pelo local correto para esses produtos, coloque os resíduos de óleo em um recipiente plástico e leve a um ponto de descarte para que o óleo possa ser reciclado.

corpo home sustentabilidade

Faça você mesmo: perfume caseiro com óleo essencial

2 de novembro de 2015

Com óleos essenciais você pode fazer o perfume que mais lhe agradar

perfume-caseiro-525

Não é de hoje que muitas pessoas vêm utilizando os diversos tipos de cosméticos disponíveis no mercado na tentativa de elevar a sua autoestima, pois, segundo um estudo, quanto maior a vaidade, maior a procura por produtos de beleza. O mercado, em contrapartida, está sempre proporcionando inovações; a cada hora é lançado um novo produto, um novo estilo e uma nova tendência.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPPC), o Brasil é o terceiro maior mercado do setor (atrás dos Estados Unidos e do Japão) mantendo 8% de participação no mercado mundial e 53% do mercado da América Latina no ano de 2009.

Um desses produtos é o perfume, que vem sendo utilizado há muitos anos para um conforto estético, mas começa a ter seu uso disseminado indiretamente na aromaterapia, com base em óleos essenciais, que são ingredientes importantes presentes nas fórmulas dos perfumes. Os aromas têm fortes ligações ao nosso comportamento, como é o caso do aroma do limão, que ajuda a melhorar o humor.

O problema é que muitas fragrâncias do perfume podem ter substâncias nocivas à saúde. O Environmental Working Group (EWG) testou 17 perfumes e colônias populares e relatou uma média de 14 produtos químicos “misteriosos”, e algumas marcas contendo até 24 deles! Graças a uma lacuna jurídica, as empresas não são obrigadas a divulgar os componentes de suas receitas nos rótulos das embalagens por motivo de proteção da patente. Enquanto isso, 66% dos produtos químicos que o EWG encontrou não foram testados para a segurança humana.

Ao invés de gastar dinheiro com produtos químicos que não foram testados, por que não fazer o seu próprio perfume? É barato e fácil. Não é necessário ser um profissional para fabricar o seu perfume em casa, a receita é simples e requer ingredientes de fácil acesso, podendo ser usado diretamente sobre roupas e sobre a pele. Você estará fazendo um bem para sua saúde, livrando-se de produtos químicos nocivos, além de contribuir para a redução de embalagens.

Ingredientes

• 1 embalagem de spray (Por que não lavar e reutilizar a de um perfume que já acabou?);
• Álcool;
• Água destilada (compre aqui);
• Óleo essencial.

Passo a passo

A ideia é utilizar o álcool e a água como base e ir adicionando gotas da sua essência favorita até que a mistura atinja um aroma agradável para o seu olfato. É possível fazer diversas combinações entre as essências.

O que diferencia os preços dos perfumes no mercado é a composição da mistura que você irá comprar. Em geral, quanto mais solvente diluído em água, menor o preço. Dê uma olhada nessa classificação:

Screen Shot 2015-11-02 at 2.41.42 PM

Tendo essa tabela como base, é possível produzir o seu próprio perfume sem parabenos

Utilize esses parâmetros de base para produzir o seu próprio perfume! E você ainda pode vender e faturar uma grana extra com eles.